foto 5

Aos 83 anos, morre Valmor Weiss, diretor do Sindiloc-PR e grande amigo do setor de locação e transportes

foto boletim Valmor Weiss

É com imenso pesar que comunicamos o falecimento do diretor do Sindiloc-PR, o empresário Valmor Weiss, no dia 21 de dezembro, aos 83 anos.

 Weiss, proprietário do Grupo Weiss, foi um dos fundadores de nosso sindicato e já foi vice-presidente da instituição. Ele também esteve à frente do Sindicato das Empresas de Transportes de Cargas no Estado do Paraná (Setcepar) e da Federação das Empresas de Transporte de Cargas do Estado do Paraná (Fetranspar). Ao longo de sua trajetória, também foi vice-presidente regional da NTC&Logística, conselheiro do BRDE, além de exercer diversos cargos relacionados ao transporte.

Extremamente atuante no setor, ele também foi um dos idealizadores da Federação Nacional das Empresas Locadoras de Veículos (Fenaloc) e atuou fortemente no processo da concessão do Aeroporto Afonso Pena, iniciativa que prevê a construção de uma pista com capacidade de pousos e decolagens de aeronaves de cargas que façam voos diretos para a Europa e Estados Unidos.

De origem humilde, Valmor saiu de Santa Catarina e estabeleceu-se em Curitiba, onde ingressou na carreira militar. Mas ao dar visibilidade à sua posição ideológica no jornal Última Hora, acabou preso pelo Regime Militar durante um ano e meio, fase relatada em sua biografia “O prisioneiro da cela 310”. Carregando a marca de ex-prisioneiro, passou por vários empregos. Foi parar no Mercado Municipal de Curitiba, descarregando caixas de caminhões. Por sugestão do cunhado, abriu uma quitanda de bananas na Rua Mateus Leme, e descobriu que levava jeito para o comércio. Sua simpatia logo conquistou os clientes e os negócios iam bem.

 Visionário, ao ler uma notícia de que os Correios iriam atuar como permissionários de malotes, colocou uma kombi para trabalhar para a companhia, quase que de graça. Até que foi chamado na Direção dos Correios do Rio de Janeiro, pelo bom trabalho que prestava, para apresentar dez carros para o trabalho bancário. Era o ano de 1972 e começava a ser implantado o serviço de compensação de cheques no Brasil.

Foi quando o que Weiss chamava de “milagre” aconteceu. Ao solicitar um empréstimo no banco, uma confusão no cadastro fez com que um crédito a mais fosse liberado. O empresário voltou à instituição bancária para desfazer o equívoco, mas o gerente enalteceu sua honestidade e, por acreditar no potencial de seu negócio, manteve o crédito milionário. Com isso pode adquirir sua frota. Nascia assim, em 1973, a V.Weiss Logística & Transportes, hoje a maior empresa do segmento de transporte de malotes e documentos bancários do sul do Brasil, com mais de 500 veículos, entre carros de passeio, utilitários, caminhões leves e motocicletas.

 Sem dúvida, Valmor Weiss deixa um grande legado para todos que transportam a riqueza de nosso país e uma carga imensa de saudades em todos que o conheciam e o respeitavam por sua competência, simplicidade e amizade.

Compartilhe