Integrante da equipe de economia da gestão presidencial de Jair Bolsonaro, o executivo fundador da Localiza, Salim Mattar, comandará a Secretaria de Privatizações, pasta que será vinculada ao Ministério da Fazenda. O convite, feito pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, foi aceito ao fim de novembro de 2018.

Batizada formalmente de Secretaria Geral de Desestatização e Desmobilização, será responsável por coordenar os projetos desses segmentos, incluindo a busca de maior eficiência na gestão dos ativos da União.

Para o presidente do Sindiloc PR, Michel Lima, o setor de locação exige jogo de cintura por parte dos executivos para se adaptar rapidamente às alterações econômicas do país. Esta capacidade de adaptação propicia aprendizado útil na administração de qualquer ramo de atividade, inclusive no setor público. “Resta saber se o engessamento natural da máquina pública e a grande legislação não serão obstáculos gigantescos a serem superados nessa missão”, comenta o presidente.

Mattar anteriormente fora sondado para ocupar o cargo na Secretaria de Indústria e Comércio, atualmente configurada como ministério autônomo. O futuro secretário tem o costume de afirmar que, como filho de libaneses, desde de muito jovem decidiu que deveria desenvolver seu próprio negócio para ganhar dinheiro. E foi com o aluguel de automóveis que se encontrou com tal habilidade. O executivo, vindo de família grande, perdeu o pai muito cedo, o que lhe exigiu muitas responsabilidades. Antes de ser empresário foi office boy e trabalhou em armazém.

Fundador e presidente do conselho da Localiza, hoje está à frente de uma das maiores locadoras de veículos do mundo. Ele também é integrante do Instituto Millenium, fundado pelo ministro Guedes, com o intuito de promover o liberalismo econômico.

Compartilhe