O uso da tecnologia vem impactando diretamente os modos de prestação de serviços em diferentes nichos de mercado, e, no caso do segmento de locação de automóveis não é diferente. Por isso, a reportagem do Sindiloc PR foi a campo para buscar informações sobre a influência de aplicativos e sites de busca da modalidade rent a car, para verificar quais são os principais impactos na locação tradicional feita em balcão.

 De acordo com o empresário Tércio Gritsch, proprietário da Referência Rent a Car, os sites de busca de locação de veículos podem ser considerados uma espécie de novas “Páginas Amarelas”. Ele destaca que todas as locadoras querem estar em evidência nesses sites, para atingir a um número expressivo de clientes que utilizam essas plataformas na busca por preços competitivos.

 Os anúncios de valores baixos divulgados provocam questionamentos acerca de como as empresas locadoras participantes das plataformas conseguem se remunerar apropriadamente após abater seus custos e repassar até 30% do valor para o gerenciador do site. Gritsch comenta a comissão paga aos chamados geradores de reservas. “Não há milagre em oferecer tarifas baixas e ainda pagar altas comissões. A locadora certamente deve estar trabalhando com margem reduzida ou até mesmo margem negativa. O objetivo das locadoras nesses sites é conseguir um share (participação) de mercado, oferecendo um bom atendimento ao cliente, e esperar que esse mesmo cliente fique fidelizado retornando na próxima locação diretamente no balcão da locadora, sem passar pelo site de busca/reserva.”

 O empresário sugere alternativas para locadoras regionais, que atuam em uma única ou poucas localidades, e que não têm condições de competir em preços e pagar taxas para se destacar nessas plataformas. Ele aconselha identificar seu público alvo e dar enfoque em diferenciais que as maiores não conseguem, sobretudo, na qualidade de um atendimento personalizado e a oferta de serviços agregados ao cliente.

 Há outras opções para as locadoras que estão fora desse mercado de aplicativos e sites dedicados a pesquisa de preços, mas em um período em que as pessoas estão cada dia mais conectadas todas passam pelo meio digital. Assim é aconselhável a divulgação nos ambientes de interatividade online. “Há sim vida fora dessas plataformas! No entanto, é interessante a locadora fazer pequenos investimentos em mídia social, como em páginas do Facebook e Instagram, por exemplo. Além disso, diversas empresas oferecem serviços para diferenciação de pesquisa no Google”, conclui.

Compartilhe